Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:

Alimento Autêntico

Porco

home-slider-top

Saboroso e versátil

No seu património gastronómico, Portugal conta com a carne de porco alentejano, que é uma carne qualificada e reconhecida com o selo de Denominação de Origem Protegida (DOP) e de Indicação Geográfica Protegida (IGP). Produzida na região do Alentejo e em certos concelhos limítrofes do Algarve, Ribatejo e Beira Baixa, é obtida graças a animais da raça de porco alentejano, que se caracterizam pela sua pele preta. É uma carne muito saborosa graças à alimentação à base de bolota e erva, pois os animais circulam livremente pelos montados de sobro e azinho do Alentejo.
Além desta, existem mais duas raças de porcos autóctones de Portugal: a raça Malhado de Alcobaça (Centro) e a raça Bísaro da região transmontana, que é uma carne com um sabor ímpar, de animais alimentados à base
de castanha.

Versatilidade

A carne de porco é ideal para grelhar, fritar emazeite ou banha, assar no forno ou cozer, integrando muitos dos pratos da gastronomia tradicional portuguesa e outros tantos que se foram inventando e reinventando ao longo dos tempos.
Como é uma carne muito saborosa, não perde nada ao ser cozinhada com grande simplicidade,apenas acompanhada com sal. Usar o forno e o lume de lenha (se possível), bem como as assadeiras de barro é uma boa ideia
para manter os usos e costumes tradicionais do nosso país. Vai ver que não se arrepende, pois o que talvez possa perder em tempo ganha em sabor.
O porco tem uma característica única, a de se poder aproveitar totalmente a sua carne, desde o focinho à ponta do rabo. Daí o seu uso em dezenas de pratos do receituário nacional, como o lombo de porco com amêijoas, as migas com carne de porco, as fêveras ou febras assadas, os pezinhos de coentrada, o pernil assado, entre outros. E não nos podemos esquecer dos enchidos.
Nascidos da arte do povo português e da necessidade de conservar alimentos durante todo o ano, são muitos os produtos de salsicharia obtidos a partir desta carne. Base da riquíssima salsicharia regional, sem a criação
de porco não haveria presunto, paio branco e vermelho, painho, chouriço, linguiça, salsichão, chouriço mouro, farinheira, moura, morcela, morcilha ou cabeça de xara. Delícias a que os portugueses não resistem.

Benefícios

Segundo um estudo do United States Department of Agriculture, o porco possui cortes de carne com um menor teor de colesterol, sódio e potássio do que a carne de bovino e a de frango. Além disso, é fonte de tiamina (vitamina B1), muito importante para o funcionamento do coração, e é rica em niacina e vitaminas B12 e B6, sendo que esta última contribui para a formação normal de glóbulos vermelhos e para a regulação hormonal.
A verdade é que atualmente a carne de porco é o resultado da evolução tecnológica da indústria alimentar, que vem diminuindo o seu teor de gorduras, calorias e colesterol em relação ao que acontecia há 25 anos, por exemplo. E é fonte de proteína animal de alto valor biológico.
Evidentemente que cortes que privilegiam a camada adiposa do animal, como o toucinho, permanecem com maior teor de gordura e colesterol do que a carne bovina, o que deve ser evitado na rotina alimentar de pessoas que se preocupam com a prevenção de doenças

Informação nutricional
(Composição por cada 100 g de parte edível de lombo de porco cru)
Energia: 131 kcal
Água: 72,0 g
Proteína: 22,2 g
Gordura total: 4,7 g
Ácidos Gordos saturados: 1,6 g
Ácidos Gordos Monoinsaturados: 1,6 g
Ácidos gordos Polinsaturados: 0,8 g
Colestrol: 58 mg
Vitamina A total: 25 μg
Vitamina D: 0,60 μg
Tiamina: 0,70 mg
Riboflavina: 0,16 mg
Niacina: 5,3 mg
Vitamina B6: 0,44 mg
Vitamina B12: 1,0 μg
Sódio: 53 mg
Potássio: 396 mg
Cálcio: 7,0 mg
Fósforo: 221 mg
Magnésio: 23 mg
Ferrero: 0,6 mg
Zinco: 1,6 mg
FONTE: Tabela da Composição dos Alimentos, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge.

A Escola de Frescos Continente

1. Como escolher
A carne de porco deve apresentar-se com cor rosada e odor característico.
A gordura deverá ser branca e fina. Esta carne é comercializada já preparada e embalada em cortes ideais para grelhar e/ou assar, comoentremeada, lombo fatiado, costeletas mistas. Pode ainda encontrar esta carne
nos nossos balcões de atendimento e aí selecionar e solicitar as peças desejadas para as diversas aplicações culinárias.

2. Como conservar
A carne de porco é muito perecível, devendo ser mantida a uma temperatura constante de 2ºC, de modo a garantir a qualidade de conservação ótima do produto. Aconselha-se o transporte da carne em saco isotérmico para evitar oscilações de temperatura. Ao chegar a casa deverá armazená-la no frigorífico, de preferência na embalagem original, fechada, no máximo entre 3 a 4 dias. Se optar por congelá-la, a carne mantém as suas propriedades durante mais tempo.

3. Como consumir
Em termos culinários é um produto muito versátil, em que a mesma peça pode ser utilizada em várias aplicações culinárias. Destacam-se os rojões, a carne porco à alentejana, a bifana, o cozido à portuguesa, a feijoada e,
como 1 Cabeça 2 Cachaço 3 Vão/Costeletas 4 Lombo 5 Pá iguaria, o famoso pica-pau.

Mais alimentos