Dificuldade:
Custo:
Tempo de Preparação:
Tipo de Refeição:
Ocasiões:
Chef:

Blog

Vinho e... queijo!

| Gourmets Amadores

16-06-2017 19:06

Pão e vinho sobre a mesa e a alma portuguesa fica quase completa. Para muitos falta o queijo para que estejam reunidos três dos mais amados produtos nacionais, com lugar quase cativo em almoços familiares e encontros de amigos. Decidir que vinho servir deve acompanhar as escolhas para a tábua de queijos, que há-de ser parte das boas-vindas e ficar na mesa ao longo da refeição. Combinar queijo e vinho não é tarefa fácil. Da extensa panóplia de opções de harmonização fazem parte variáveis como a textura e sabor dos queijos e a acidez, corpo e estrutura do vinho.

Branco, tinto ou rosé, espumante ou licoroso, cada vinho estabelece uma ligação especial com o queijo, que pode ser duro ou de pasta mole, intenso ou delicado, curado ou fresco. Duas ou três dicas tornam mais simples fazer as compras e apresentar na mesa uma tábua de queijos que combina com o que está no copo. Mais gordura pede frescura e acidez, maior maturação dá-se bem com vinhos complexos, todos recebem com alegria o açúcar dos fortificados. Dificuldade maior trazem os taninos dos vinhos tintos que desafiam o casamento com queijo e são quase sempre uma opção arriscada. Em caso de dúvida o melhor é apostar nos brancos ou licorosos e deixar de fora tintos de taninos vincados.

Falemos de alguns exemplos a seguir: os brancos frutados com alguma acidez servem melhor queijos com pouca maturação e pasta mole, como os de Azeitão ou os franceses Brie e Camembert ou o italiano Ricotta. Já um Porto branco ou os rosés frescos e elegantes podem fazer boa companhia a um queijo da Ilha com poucos meses de cura, a um requeijão de ovelha de Serpa ou ao grego Feta. Para os queijos envelhecidos, como o Amarelo da Beira Baixa ou o inglês Cheddar, são melhor os licorosos como o vinho de Carcavelos ou um tinto suave, com estrutura. Para finalizar a refeição, sirva os mal-amados queijos azuis, como Roquefort ou Gorgonzola, com um vinho do Porto Tawny, figos frescos e frutos secos. E se simplesmente não conseguir lembrar-se destas indicações e precisar de um vinho que se dê bem com todos os queijos, abra um espumante meio-seco ou doce. Não há que enganar!

,